Empresária Isabel dos Santos deixa conselho de administração da UNITEL

Advertisements

Num comunicado, a empresária Isabel dos Santos diz que optou por deixar o cargo de membro do conselho de administração da UNITEL, “após 20 anos dedicados à criação, ao desenvolvimento e ao sucesso da empresa”.

“Numa altura em que a economia angolana e o mercado das telecomunicações atravessam condições económicas particularmente adversas, parece-me contraproducente e irresponsável permitir que um clima de conflito permanente e de politização sistemática dos administradores se instale no conselho de administração da empresa, fruto das relações entre accionistas”, justifica.

Isabel dos Santos avança ainda que o conselho de administração da UNITEL, “deve ser ocupado por pessoas dedicadas e com um espírito de equipa, comprometidas com o trabalho rigoroso e produtivo, no interesse da empresa e dos seus colaboradores e clientes”.

A decisão surge na sequência da divulgação de que a empresária teria tentado fazer com que a UNITEL passasse a pagar-lhe os salários em dinheiro, depois de ter visto os seus bens arrestados, no final do ano passado pela justiça angolana.

De acordo com a notícia publicada na ANGOMOZ, Isabel dos Santos, enquanto administradora da UNITEL, tem direito a catorze salários por ano, de aproximadamente USD 50 mil líquidos.

A empresária destacou ainda, em seu comunicado, que nos anos em que esteve a frente da UNITEL ou participou activamente na gestão da empresa, realizou um investimento de mais de USD 5 mil milhões na rede, equipamento e formação profissional, “recorrendo inteiramente a receitas próprias e empréstimos bancários privados e sem qualquer apoio de fundos governamentais ou públicos”, diz.

“Pagamos impostos como um dos grandes contribuintes em Angola e apoiamos com dezenas de milhões de dólares vários programas de responsabilidade social, como “Stop Malária”, o “Projecto Agrícola de produção de milho – Unicanda” e bolsas de estudo, entre outros”, escreve.

Como resultados, Isabel dos Santos ressalta o facto de “99.9% dos trabalhadores e técnicos serem angolanos”.

“Como engenheira angolana e como uma das fundadoras da empresa, tenho a honra e o orgulho de ter construído uma das primeiras redes de telecomunicações em Angola e de ter participado no desenvolvimento desta empresa, que muito contribuiu para a modernização e reconstrução do meu país, aproximando todos os angolanos de Cabinda ao Cunene e oferecendo-lhes uma janela no mundo”, recorda.

A filha do ex-presidente José Eduardo dos Santos finaliza, ressaltando que pretende continuar a apoiar a UNITEL com todas as suas “energias, a fim de contribuir para o sucesso da nossa visão e do nosso projeto de desenvolvimento de futuro” e reforça que “em nome do futuro de Angola, eu e as empresas que dirijo estaremos sempre ao lado do progresso, da economia e da criação de empregos e oportunidades para jovens angolanos”.

No dia 03 de Agosto, decorreu, em Talatona, a Assembleia-Geral de accionistas da UNITEL com treze pontos em agenda, entre eles a situação da empresária Isabel dos Santos.

Deixe uma resposta